ele

o carcereiro
ele, na espreita
ele, sorrindo, olhando de lado. esperando o momento certo do bote.
ele, cheio de si e de críticas a mim
ele, vampiro
ele, traiçoeiro, sedutor
ele, jogando pra mim toda culpa do mundo.
ele, me julgando e condenando sempre minha falsa submissão
ele, me impedindo de ser plena e feliz
ele tirando o tapete
ele, cortando meus pés à entrada da morada
ele, jogando fumaça nas minhas certezas
ele, fingindo ser guia
ele, bússola que aponta pro sul.
ele, necessidade infantil de referência externa, ponto de referência de uma luta interminável e desigual.
ele, inimigo sempre evocado e projetado em humanos com rostos similares
ele, por que masculino?
ele, o perigo.

dos tais editais

Ontem foi meu aniversário. comemorei meus 34 anos pegando assinaturas pra mandar a GIRA prum edital, ProAC.
Meio puta de ser tão workahoolic, mas o lado bom foi ver amigos.
Isso foi bem significativo. Fazer a palavra circular é o que falta no ano que entra.
Universo, posso?

blogs

blogar deixa a palavra quente, querendo sair.
a gente não precisa smpre acordar das profundezas.
Do cotidiano, vem o essencial.