aceitação

Ser do rodapé. Ser da ralé. Ser do foda-se, do foda-me, do cais. Ser mais.
Ser da falta. Ser da não precisar. Será? A liberdade dos que parecem livres, do que padecem livres, mas que afrouxaram o passo por falta de RG.

Ser a banda que ressoa no coreto da cidade para ver os velhos dançarem sem importar o cachê. Ser a mola do realejo ao entregar o bilhete certo a quem ansiava boa sorte. Ser a valsa na noite de lua. ser o acalanto da lua após uma dor desconsolada, ser a voz do desespero que alivia o risco do suicídio. ser a luz na névoa fria. feito brisa. que torna-se tormenta;

Ser a volta da fortuna na vida. ser a permissão pra sorrir, ser a planta da casa, renovar o O2 esquecido, ser o porto dos amores esquecidos Ser. Não importa quando, nem onde, mas fazer orbitar os elétrons ao redor dos núcleos, pelo simples motivo de manter a vida em movimento.

Recriar não a vida, nas a razão dela. e deitar-se na íntima certeza de ter nascido para fluir seiva fresca ao mundo, seja ele qual te deram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s