ainda não me contaram que já é primavera.

hoje, febril,

busco a fé de que falam os sábios.

mas só queimo na ansiedade dos dias, apesar da primavera que trouxe a chuva, limpando o deserto do lado de fora.

ainda não achei a medida da paixão pela vida sem desapego: quero, e quero muito, ou não quero e não faço,

um destempero.

e às vezes, sinto vontade de chutar quem está no caminho, seja pedra ou gente.

não, não me orgulho. respiro fundo, não faço. mas reconheço.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s