rogância

…então no quintal da minha arrogância

dou incumbências às divindades: façam acontecer isso ou aquilo!

(por favor)

só assim darei minha vida!

a mãe, bondosa, acolhe e ri.

o pai, então, me joga no contrário: para que eu conquiste com minhas mãos meu pedido,

ou caia no chão, abrace a terra,

(e só então entenda)

que sou eu quem devo abrir os ouvidos ao que fazer.

 

silenciar, ouvir e fluir

 

e com o livre-arbítrio de abraçar ou não o caminho.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s