a dupla camada da realidade

É uma árvore gigante que mora onde moram meus pais.

Não sei quantos anos tem, mas é uma entidade. Linda, dançando rumo ao céu, dançando rumo ao centro.

Num dia, rodeando e contemplando, vi numa fenda do tronco algo além. Muito além.

Se eu ainda fosse criança, acreditaria em portais.

Não sendo mais, ainda acredito. Um manto, um cajado, figuras, essências esculpidas no tempo. Um mago? Sacerdotisa? Talvez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s